lab01Aumento dos lábios é um dos procedimentos de cirurgia plástica mais popularmente oferecidos hoje, nos consultórios de Cirurgia Plástica e Dermatologia.

O preenchimento labial pode ser buscado para melhorar o volume e/ou o contorno de um lábio jovem, bem como para rejuvenescimento facial. É bom sempre lembrar que a forma normal dos lábios varia com a idade e é influenciado pela etnia.

À medida que envelhecemos, perdemos a plenitude dos lábios. O envelhecimento faz com que os lábios fiquem cada vez mais finos e também faz com que as pequenas rugas vistas na borda dos lábios acentuem-se.

Lábios com aparência jovial

Lábios com aparência jovial

Lábios envelhecidos. Perceba o afinamento dos lábios e
o surgimento de rugas peri-labiais

A maioria dos pacientes que nos procura para aumentar seus lábios quer alcançar uma maior plenitude na estética labial, sem no entanto, perder a naturalidade e a proporcionalidade facial.

Esta é uma questão muito mais complexa, do que simplesmente injetar uma substância para aumentar os lábios.

Algumas vezes, no entusiasmo de se alcançar uma melhora estética labial pode-se comprometer a harmonia e o equilíbrio facial. Isto pode acontecer em parte pela falta de atenção na estética facial, ou simplesmente pela falta de compreensão do que se deseja como objetivo estético e resultados desastrosos podem ocorrer.

Aumento exagerado dos lábios

Aumento exagerado dos lábios

Se você possui os lábios naturalmente finos e tem expectativa de ter os lábios como os da  atriz Angelina Jolie, tenha atenção ao fazer o preenchimento, porque provavelmente você irá decepcionar-se.

É importante que você perceba a sua própria estrutura natural que seus lábios possuem e entender a limitação da quantidade de aumento de volume que poderá ser dado aos lábios sem que suas características faciais fiquem fora de equilíbrio, deixando   resultados desproporcionais e desarmônicos.

Existe na verdade para cada pessoa, uma quantidade máxima de aumento de volume dos lábios que possa ser atingido com segurança, sem que haja uma distorção de sua anatomia, trazendo resultados satisfatórios com aumento de volume e melhora do contorno labial, sem exageros.

A percepção da beleza é uma preferência individual, sob a influência cultural. A habilidade em se reconhecer uma face bela é inata ao ser humano, e traduzi-la em metas terapêuticas objetivas e definidas torna-se sempre uma tarefa árdua.

Com o aumento da popularidade e o avanço das técnicas e dos produtos utilizados na estética labial, a busca por um embelezamento dos lábios recebeu maior destaque.

Os lábios exercem um papel muito importante em todo equilíbrio facial, para conseguir atingir sua plenitude estética, sempre devemos lembrar as relações que eles têm com as outras estruturas faciais.

A seguir irei descrever algumas relações e proporções entre os lábios e a face que são importantes para o conhecimento da estética labial, na hora de decidir-se se há  necessidade  e  qual a melhor opção na  plástica labial.

Estes parâmetros servem como um guia na  avaliação estética, e não podem ser usados de maneira obsessiva  na busca da beleza perfeita, mesmo por que esta não existe. O que deve-se buscar é uma proximidade da proporção e da simetria facial ideal.

Sempre realizando a avaliação com os lábios em repouso, durante o sorriso, durante o beijo e com  eles entreabertos.

Devemos sempre observar assimetrias faciais e labiais previamente ao tratamento, para quando possível, poder trata-las.

Linha imaginária do contorno labial para avaliação de assimetrias

Linha imaginária do contorno labial para avaliação de assimetrias

Em repouso, inicialmente observamos a simetria. Se a assimetria existe, ela deverá ser avaliada podendo ser causada por uma deformidade intrínseca do lábio, como existe em muitos pacientes fissurados; disfunção do nervo facial ou uma assimetria dento-esquelética.

Desenho esquemático de uma assimetria labial

Desenho esquemático de uma assimetria labial

Cada uma dessas condições requer diferentes considerações de tratamento.

lab06

Assimetria a direita da espessura do
vermelhão do lábio superior

É importante saber que, todo mundo apresenta em menor ou maior grau assimetrias em todo o corpo. O lado direito é diferente do lado esquerdo, em todas as regiões do corpo, inclusive na face, e não pode-se esperar ter uma perfeita simetria, pois isto é praticamente impossível.

Sabendo disso, muitas assimetrias mais pronunciadas poderão ser melhoradas com o tratamento, porém nunca ficarão perfeitamente simétricas.

Veja uma montagem feita com a foto do Presidente Ronald Reagan, como normalmente existem assimetrias em toda a face, que dependendo da intensidade muitas vezes nem nos damos conta que existam.

Montagens com a foto do Presidente Ronald Reagan, foto canto esquerdo é a original, na do meio a foto foi feita com efeito espelho utilizando a metade do lado direito e a foto do canto direito foi feita com a metade esquerda. Observe como são três pessoas diferentes.

Montagens com a foto do Presidente Ronald Reagan, foto canto esquerdo é a original,
na do meio a foto foi feita com efeito espelho utilizando a metade do lado direito e a foto
do canto direito foi feita com a metade esquerda. Observe como são três pessoas diferentes

Ao iniciarmos a avaliação de um paciente que deseja aumentar ou melhorar o contorno labial, devemos analisar primeiramente a proporção dos terços da face, bem como a proporção que os lábios ocupam no terço inferior.

Quando visualizamos a face de uma pessoa de frente (visão frontal), podemos dividir a face em 3 terços iguais.

Terço Superior:

terço superior começa na linha do cabelo e vai até a região da glabela (região entre as sobrancelhas).

Terço superior da face

Terço superior da face

Terço Médio:

A região entre a glabela e a base nasal (região logo abaixo do nariz) compreende o terço médio da face.

lab09

Terço médio da face

Terço Inferior:

O terço inferior fica entre a base nasal e o mento (borda do queixo), e é nele que mais nos ateremos na avaliação estética dos lábios.

lab10

Terço inferior da face

terço inferior da face pode ainda ser divido em 3 terços, o lábio superior ocupa o 1/3 superior, o lábio inferior ocupa o 1/3 médio e  a região do queixo ocupa o terço inferior.

É necessário o conhecimento da anatomia dos lábios para que se possa entender as nomenclaturas utilizadas e compreender as adequadas proporções no terço inferior da face.

lab11

Os terços faciais proporcionais e a subdivisão do terço inferior: onde o lábio superior ocupa 1/3 e o lábio inferior juntamente com a região do queixo, ocupa os outros 2/3

Lábios:

Os lábios são as estruturas que circundam a abertura oral. São divididos em Lábio Superior Lábio Inferior.

lab12

Lábio Superior na região central é delimitado superiormente pela margem inferior da base do nariz. Lateralmente, os seus limites vão até o sulco nasojugal. O filtro labial e seus pilares fazem parte do lábio superior.

Lábio Inferior tem seu limite inferior na região central o sulco mentolabial.

As Comissuras Orais são formadas pela união dos lábios superior e inferior.

A superfície do lábio é composta por quatro zonaspele, borda do vermelhão, vermelhão e mucosa oral.

Vermelhão:

Vermelhão é  a parte vermelha dos lábios, sendo responsável na estética do volume labial.

É recoberta por um tecido especializado, que tem continuidade da pele com a mucosa oral do sulco gengivolabial.

Ele é dividido ainda em, Vermelhão Úmido  e Vermelhão Seco.

lab13

O  Vermelhão Seco é  a parte a qual você passa o batom, que você consegue ver com a boca fechada e que precisa de hidratação, principalmente no inverno, para evitar o ressecamento.

Vermelhão Úmido é a parte que você consegue ver somente quando abre a boca. Percebe-se nitidamente um linha de transição entre a parte úmida da seca.

Confusamente, o próprio vermelhão é muitas vezes referido como se fosse o próprio lábio.

Borda do Vermelhão:

É o limite entre a pele e o vermelhão do lábio, sendo demarcado por uma pele mais clara. Tem importante papel na definição do contorno estético. Com o passar da idade perdemos volume e definição da borda do vermelhão.

lab14

Arco do Cupido:

Em uma visão frontal,  a linha formada pela Borda do Vermelhão do lábio superior se assemelha a um arco, que se curva medialmente e superiormente das comissuras orais para projeções paramedianas, localizadas na base dos pilares do filtro (cristra filtral), com uma convexidade inferior situada entre estas projeções.

lab15

Arco do Cupido: linha da borda do vermelhão no lábio superior

O Filtro é o sulco vertical na linha média do lábio superior limitada por estes pilares laterais (crista filtral).

Espessura dos Vermelhões:

Os lábios podem ser subjetivamente classificados quanto à espessura do vermelhões em finos, regulares e espessos.

Lábio fino

Lábio fino

lab17

Lábio Regular

lab18

Lábio Espesso

Como regra geral, a espessura do vermelhão do Lábio Superior é aproximadamente a metade da espessura do vermelhão do lábio inferior, no entanto variações são frequentemente observadas.

Em indivíduos adultos, a distância entre a base do nariz e a borda inferior do lábio superior é de 19-22 mm para as mulheres de e 22-24 mm para os homens.

Se o Lábio Superior é anatomicamente curto (Menor ou igual a 18 mm), observa-se um espaço interlabial aumentado e uma exposição do incisivo, associado a um aumento da altura do 1/3 inferior da face.

lab20

Lábio superior curto

lábio inferior é medido do ponto mais superior do lábio inferior até o tecido mole do mento e normalmente as medidas ficam entre 38 a 44 mm de comprimento.  Esse comprimento mostra uma diferença entre os sexos na adolescência, os meninos constantemente mostram um lábio inferior mais longo do que as meninas.

Como o lábio superior, o lábio inferior pode também ser curto anatomicamente, o diagnóstico é auxiliado pela cefalometria, onde mede-se a Altura Facial Anterior Inferior (AFAI).

lab21

Exame de cefalometria utilizado para a avaliação dento-esquelética, mostrando
a medida da Altura Facial Anterior Inferior (AFAI)

lábio inferior anatômico curto não pode ser confundido com um lábio inferior curto ocasionado pela posição errada do incisivo, naqueles pacientes que apresentam a chamada mordida profunda Class II, com altura dentária anterior inferior normal.

lab22

Lábio inferior curto devido a posição do incisivo

Lábios proporcionais harmonizam-se apesar do comprimento, lábios desproporcionais podem necessitar de modificação no comprimento para entrarem em equilíbrio.

lab23

Proporções entre os lábios superiores e inferiores e entre o vermelhão superior e inferior. O vermelhão superior normalmente varia de espessura cerca 0,3 a 0,6 do vermelhão inferior

As medidas labiais denunciam o comprimento de tecido mole normal ou anormal que podem estar relacionadas ao excesso ou deficiência da estrutura  dento-esquelético.

Com o passar dos anos, a perda da tonicidade da musculatura peri-labial associada a outros fatores como o desgaste dos dentes, contribuem para a diminuição da quantidade visível dos dentes superiores.

Há um alongamento do lábio superior com a idade, que também contribui para deixar o sorriso mais baixo.

Perda da tonicidade muscular peri-labial em paciente idosa. Notar a diminuição na quantidade visível dos dentes.

Perda da tonicidade muscular peri-labial em paciente idosa.
Notar a diminuição na quantidade visível dos dentes

Espaço Interlabial:

Quando existe uma boa estética haverá um espaço interbucal de 1 a 5 mm  na posição de repouso. As mulheres apresentam um espaço maior dentro da variação normal.

lab25

Espaço interlabial geralmente considerado normal de 1 a 5 mm

Esta medida também está dependente dos comprimentos labiais e altura dento-esquelética vertical.

Os aumentos no espaço interlabial são observados com o lábio superior anatômico curtoexcesso maxilar vertical e protrusão mandibular com mordida aberta.

Paciente com aumento no espaço interlabial por excesso maxilar vertical.

Paciente com aumento no espaço interlabial por excesso maxilar vertical

Um espaço interlabial reduzido é encontrado nos casos de deficiência maxilar verticallábio superior anatomicamente longo (mudança natural com a idade, especialmente nos homens), e retrusão mandibular com mordida profunda.

Largura do Lábio:

A largura do lábio, que é a distância entre as duas comissuras orais, geralmente em repouso é a mesma distância entre os limbos, com o olhar para o horizonte.

lab27

Largura do lábio é normalmente igual a largura entre os limbos

O limbo é a zona de transição entre a córnea transparente com a esclera opaca.

lab28

O Limbo é a área de transição entre a córnea e a esclera

Bem, agora que você já tem uma boa noção da anatomia estética dos lábios, vamos começar a falar propriamente, sobre o aumento  e contorno dos lábios.